Economia chinesa e o dólar no Brasil

Sempre ouvimos falar ou lemos notícias sobre “a alta do dólar”, “a queda do dólar”, “o dólar subiu” ou “o dólar caiu”. Mas por que de um dia para o outro o valor do dólar muda? E o que a economia chinesa e o mercado financeiro chinês têm a ver com isso?

economia chinesa

 

A importância da cotação do dólar

Desde 1944 com os acordos firmados em Bretton Woods por dezenas de países aliados, a fim de definir as diretrizes da economia mundial após a Segunda Guerra Mundial que estava próxima do fim, o dólar foi instituído como moeda-base no mundo. Ou seja: todos os países signatários dos acordos (e também mais influentes) usariam o dólar para definir as taxas de cambio das moedas correntes em seus respectivos territórios.

Assim sendo, o dólar passou a ser parâmetro que reflete o valor de cada moeda ao mercado mundial, variando de acordo com a economia de diversos países que influenciam positivamente ou negativamente na economia mundial.

São vários os fatores que influenciam na queda ou alta do dólar em um país: crises governamentais, desastres ambientais que afetam à economia, especulações financeiras, desaceleramento ou aceleramento do crescimento econômico, etc. As bolsas de valores também influenciam na cotação do dólar na medida em que mostra como anda a economia de um país, o valor de sua moeda em relação ao dólar e os riscos de se investir.

Tantos assuntos internos (como escândalos de corrupção ou desastres naturais), quanto assuntos externos (o desempenho das potências econômicas que determinam a situação do mercado mundial), são responsáveis pela mudança, algumas vezes repentina, na cotação do dólar.

 

O papel da Economia Chinesa

economia chinesa

No caso da China, assim como outras potências econômicas, tudo que acontece na economia nacional reflete mundialmente, bem como a desvalorização ou valorização do Renminbi (moeda chinesa), ou a queda ou alta na bolsa de valores, atinge diretamente a cotação do dólar no Brasil. Tudo isso por conta da importância da economia chinesa no mundo, já que o país mantém relações comerciais com o mundo todo e em diversos países, é o maior importador e/ou exportador de determinados produtos.

Durante esta semana, entre quarta e sexta o dólar “caiu” e “subiu”, sendo alguns acontecimentos na economia chinesa dados como fator principal para o ocorrido. Quarta-feira (13/01/2016), o Banco Central Chinês estabilizou a taxa do Renminbi em relação ao Dólar, que desde agosto de 2015 já caiu 5%, o que tranquilizou investidores, diminuindo o risco de maior depreciação por enquanto.

Na última quinta-feira (14/01/1016), o dólar fechou com queda depois que foi anunciado o recorde de importação de petróleo pela China e que a economia chinesa desacelerou menos que o esperado no mês de Dezembro. A melhora chinesa reanimou os investidores e valorizou o Renminbi, refletindo positivamente na economia brasileira, por conta das relações comerciais entre Brasil-China.

Já nesta sexta-feira (15/01/2016), após as ações chinesas caírem, o dólar “subiu” novamente. Isso porque com a queda das ações chinesas, os mercados com investimentos mais seguros, como o dólar, são mais valorizados. O índice das ações de Shanghai fechou a semana com o menor nível desde dezembro de 2014.

economia chinesa

Isto mostra, na prática, como a economia chinesa e sua saúde são importantes e refletem diretamente na economia mundial e, consequentemente, também aqui no Brasil. Mas como?

A incerteza do câmbio do Renminbi e a sua desvalorização atingem principalmente as empresas brasileiras focadas em exportação, sobretudo de commodities, que são os produtos mais vendidos para a China. Como a moeda chinesa passa a valer menos diante do dólar, os importadores chineses pagam menos pelas commodities e afetam os exportadores brasileiros, que devem vender mais ou aumentar o valor dos produtos para lucrar o mesmo de antes.

O menor crescimento da economia chinesa também causa uma fuga de recursos dos investimentos internacionais nos países emergentes, como o Brasil, já que demonstram maiores riscos nas economias que possuem grandes relações com a China. A desvalorização do Renminbi também faz com o que os produtos deles fique mais baratos no mercado internacional, desestabilizando concorrentes e favorecendo exportações de produtos chineses.

É importante destacar que a cotação do dólar no Brasil também depende de outros fatores da economia mundial e da situação da economia nacional. Mas é possível, também, observar o papel da economia chinesa para o mercado brasileiro, que nada tem de irrelevante!

Por Ingrid Torquato, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: G1, BBC News, China Daily

Gostou desse artigo? Então veja muito mais em nossa página do Facebook e em nosso site.


Veja Também


Deixe seu comentário