A dinâmica da economia chinesa em 2017

A China tem apresentado um crescimento econômico formidável nas últimas décadas, mesmo durante a crise econômica  de 2008. Apesar de 2016 ter sido o ano com o menor crescimento em 26 anos, as projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI) dizem que os chineses terão um papel crucial para a recuperação econômica mundial. Segundo Zhang Tao, diretor de gestão do FMI, não obstante o crescimento de apenas 6,7% em 2016, o crescimento cada vez mais sustentável da economia chinesa beneficiará o mundo todo.

 

Economia chinesa

 

 

A economia chinesa e os BRICS

O ministro de finanças chinês, Xiao Jie, recentemente afirmou que a China planeja aumentar a cooperação financeira com os países dos BRICS, bloco formado por Brasil,Rússia, Índia, China e África do Sul. Segundo o ministro, os países do bloco estão comprometidos a manter uma colaboração constante no setor financeiro, além de trabalhar em conjunto para o crescimento das economias do bloco e também da economia mundial. Xiao Jie também enfatizou as conquistas do bloco nesse setor, como o Novo Banco de Desenvolvimento e o Arranjo de Reserva Contingente, todos eles fundamentais para manter o ritmo de crescimento da economia chinesa.

 

Economia chinesa

 

Para o ano de 2017, a China tem como meta promover mais os mecanismos de cooperação já existentes dos BRICS. Ademais, o país tem a intenção de trabalhar também nos campos de parcerias público-privadas, na parte de reforçar a convergência das normas contabilísticas em matéria de emissão de obrigações e auditorias conexas, além da área fiscal, numa tentativa de elevar a atual cooperação financeira a um novo nível. O diretor do Banco Central chinês, Zhou Xiaochuan, disse que os países dos BRICS irão trabalhar para reforçar ainda mais as parcerias entre os países do G-20, bloco das 20 economias mais desenvolvidas do mundo, principalmente na área de financiamento “verde”.
Embora haja o desaquecimento da economia chinesa, de acordo com estudos da Organização para Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OCDE), há fortes indícios de que os chineses estão se adaptando ao novo cenário econômico mundial. Um exemplo que demonstra claramente quais são as novas diretrizes do crescimento industrial chinês é o mercado de produção e venda de bicicletas. A China é mundialmente conhecida por ser o “reino das bicicletas”, visto que esse é o meio de transporte mais popular no país. Todavia, uma fatia cada vez maior desse mercado está sendo preenchido por bicicletas cheias de tecnologia e com menor impacto ambiental. O que o mercado das bicicletas na China aponta para o mundo é que cada vez mais os chineses estão se movendo para um novo modelo de crescimento, o qual inclui a tecnologia da Internet, um vasto mercado, e a sustentabilidade ambiental.

 

O novo modelo de crescimento da economia chinesa

Esse novo modelo de crescimento tem trazido resultados vantajosos à China e às grandes empresas que trabalham com alta tecnologia. A Tesla, fabricante de carros elétricos, por exemplo, teve suas vendas duplicadas desde que a companhia veio para o país asiático, sendo que os chineses são os principais compradores de seus produtos. A Apple planeja abrir duas novas fábricas em Shanghai e Suzhou, demonstrando a confiança que as empresas têm no crescimento econômico da China.
O presidente do Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (AAIB, em inglês), Jin Liqun, defende que a globalização do comércio mundial traz muitos benefícios para os chineses. Assim sendo, a economia chinesa colherá muitos benefícios se promover ainda mais a abertura de seu mercado para o exterior.

Por Victor Fumoto, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: CCTV, China Daily

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | TwitterGoogle +


Veja Também


Deixe seu comentário