Maio 16 2016

Culinária chinesa pra todos os gostos

Posted by Gabriel Condi

Confúcio, o filósofo com mais influência no pensamento chinês e na formação da filosofia chinesa, parece também ter deixado sua marca na culinária chinesa. Certa vez ele disse: “receber amigos vindos de longe não é uma alegria?” (tradução livre da frase dita por Confúcio: 有朋自远方来,不亦乐乎?). Pessoas vindas de longe, dizia ele, não importa se são convidados ou parentes retornando para casa, todos devem se sentar juntos para comer. Isso representa uma recepção muito mais calorosa à pessoa que chega. Para a pessoa que está indo embora para longe, ao desejar-lhe uma boa viagem, também podemos nos despedir com uma boa refeição.

culinária da China

A gastronomia chinesa se caracteriza por pratos coloridos e que buscam o equilíbrio

Além do pensamento confuciano, a culinária chinesa também sofreu influência da filosofia do Yin-Yang, que prega a complementaridade dos opostos. Assim, é comum encontrar pratos chineses que são, ao mesmo tempo, doces e salgados, por exemplo. Além disso, ao chegar na China, pode-se facilmente notar a importância que os chineses dão a pratos coloridos, com diferentes temperos e sabores.

Mas será que todas as regiões da China receberam as mesmas influências ao longo da História, no que se refere à culinária chinesa? Pense bem: o Brasil é um dos maiores países do mundo. E a China é maior ainda! Do mesmo modo que, no Brasil, cada região tem seus pratos típicos, na China isso também ocorre. Assim sendo, falar em culinária chinesa não é nada simples. Na verdade, o termo “culinária chinesa” pode até se tornar enganoso, por generalizar algo tão diverso como a gastronomia chinesa e, às vezes, por não refletir exatamente a realidade encontrada na China.

Foi pensando nisso que elaboramos este artigo, para te ajudar a conhecer um pouco mais as diferenças regionais encontradas na gastronomia chinesa, incluindo suas características principais, e também alguns pratos típicos de cada região. Você, que deseja se aventurar nessa viagem de novidades e sabores inusitados, vai perceber que aqueles esteriótipos que temos dos chineses, como por exemplo que eles comem carne de cachorro todos os dias, raramente descrevem com precisão a realidade que, de fato, podemos encontrar no país.

 

Culinária chinesa e suas variações

Pelo fato de a China ser enorme do jeito que é, fica muito difícil descrever detalhadamente todas as características da culinária de cada canto do país, bem como citar todos os seus pratos típicos, suas histórias e seus modos de preparo. Desse modo, selecionamos aqui seis regiões diferentes, por acreditarmos que elas englobaram diversos aspectos da culinária chinesa, talvez a maior parte deles. Além disso, as características culinárias dessas regiões são as mais facilmente encontradas pelos estrangeiros na China e, em muitos casos, as mais procuradas por eles.

culinária chinesa

A culinária chinesa apresenta características diferentes de acordo com cada região

 

Culinária do Norte da China

Em contraste com o Sul, onde o clima mais quente favorece o plantio do arroz, o norte da China é mais frio, tornando possível o cultivo do trigo e do sorgo. Essa diferença tem impacto direto na culinária chinesa em cada uma das regiões. Enquanto que, no sul da China, a maioria dos pratos são feitos à base do arroz, no Norte o principal produto alimentício é o macarrão.

A região mais setentrional do país, onde se localiza Harbin (famosa por sua “Cidade do Gelo”), sofre forte influência da culinária russa, devido à proximidade com o país. Em se tratando da culinária de Harbin especificamente, a comida se caracteriza pelo sabor forte, incluindo diversas carnes assadas, guisados, e muitos pratos russos.

 

Pratos típicos do norte da China

Um pouco mais ao sul do que Harbin, mas ainda no norte da China, podemos encontrar muitos pratos típicos que merecem destaque: na província de Gansu, com certeza a especialidade é o niúroùmiàn (牛肉面), sopa de macarrão com carne, picante o suficiente para você encarar o prato como um desafio. Se sua língua não aguentar o tranco, você pode pedir para o garçom colocar mais carne (jiarou), ou mesmo pedir a sopa sem pimenta (buyao lajiao).

gastronomia chinesa

Niúròumiàn (牛肉面), prato típico da culinária chinesa, proveniente da província de Gansu

Já em Pequim, capital da China e com uma história de milhares de anos, as opções são muitíssimas. O prato mais famoso da cidade é o Pato de Pequim (烤鸭), provavelmente devido ao fato de os patos servidos nesse prato serem mais gordos que o normal, e com certeza muito mais saborosos do que normalmente se encontra nos restaurantes chineses em outros países. Em geral, o Pato de Pequim é servido com fatias de pepino, massinhas que se assemelham a pequenas panquecas e molho de ameixa.

Entre os outros pratos típicos de Pequim, podemos encontrar o Má Dòufu (麻豆腐), que em linhas gerais é um tofu picante; o Dalian Huoshao (褡裢火烧), pequenas tortinhas fritas mais ou menos do tamanho de um dedo, e extremamente saborosas; o Zhá Guànchang (炸灌肠), biscoitos fritos crocantes mergulhados em um forte molho de alho; o Zhá Jiàng Miàn (炸酱面), macarrão mais grosso, servido com carne de porco e tiras de pepino banhado em molho de soja; o Chao Gan (炒肝), fígado frito na manteiga e servido com sopa; o Bào Du (爆肚), que são tripas, geralmente de carneiro, fervidas e frequentemente servidas com caldo temperado; o Dòu Zhi (豆汁), bebida de leite de soja com sabor azedo; o Ròu Bing (肉饼), empada de carne, às vezes carne de porco, às vezes carne de vaca, mas frita, e não assada; o Jiao Quan (焦圈), anéis de massa frita que geralmente vêm acompanhados de Dòu Zhi; e o Yáng Zá (羊杂), parecido ao Bào Du, mas que inclui entranhas de carneiro e é sempre servido em um caldo.

gastronomia chinesa

Dòuzhi (豆汁), bebida típica de Pequim, é um ícone da gastronomia chinesa

 

Culinária de Xinjiang

Provavelmente a culinária de Xinjiang é uma das mais peculiares dentro da culinária chinesa. Localizada no extremo noroeste da China, a província de Xinjiang fica na fronteira com o Cazaquistão, o Tadjiquistão, o Quirguistão, e o Paquistão. Graças à proximidade com esses países, a influência da religião islâmica é bem forte na província, o que também é verdade para a culinária de Xinjiang. Além disso, a minoria étnica uigur, com cultura diferente ao restante dos chineses é preponderante naquela região, o que também interfere em sua culinária. A combinação entre culinária da Ásia Central e culinária chinesa faz com que a gastronomia de Xinjiang seja realmente única.

 

Pratos típicos de Xinjiang

Facilmente encontrado em todas as partes de Xinjiang é o laghman, ou “macarrão puxado”, já que a massa usada para prepará-lo é puxada e esticada várias vezes. Ali, esse macarrão é geralmente servido com carneiro, pimentas variadas, tomate, berinjela e alho. Há uma variedade de laghman chamada suoman, feita com macarrão torcido, e servida basicamente com os mesmo ingredientes citados acima. Também há a opção vegetariana para esse prato.

culinária da China

O laghman, prato típico de Xinjiang, similar a vários pratos da gastronomia da China, mas com características próprias

Os kebabs de Xinjiang estão entre os mais famosos da Ásia Central, devido à sua qualidade. Com relação às variedades de kebab, podem ser encontrados o jiger, com menor teor de gordura; o tonor (ou tondoori), geralmente maiores do que os outros; e o bel, feito com lombo, e quase sempre temperado com cominho.

culinária chinesa

Os kebabs de xinjiang são diferentes da Àsia Central, típicos da culinária chinesa, assim como o nan, pão produzido naquela região

Como acontece em outros países muçulmanos, muitas pessoas em Xinjiang ganham a vida vendendo pão. Lá, ele é conhecido como nan, e recebe a adição de vários tipos de sementes, que tornam seu sabor muito mais gostoso. Vários restaurantes servem um tipo de iogurte, ou coalhada, junto com o nan.

Recebendo influência da culinária chinesa, os habitantes de Xinjiang também comem bastante dumplings, conhecidos no Brasil como gyosa, graças à presença japonesa. Em Xinjiang, eles recebem o nome de samsas, e via de regra são recheados com carne de carneiro. A quantidade de gordura varia de acordo com a cidade e com o restaurante.

gastronomia na China

Dogh, bebida gelada proveniente do noroeste da China

Depois de se fartar no almoço, você ainda pode querer experimentar alguma sobremesa. Em Xinjiang, as opções são várias. Uma delas é o morozhenoe, sorvete de baunilha mantido em barris de madeira. Também há o kharsen meghriz, bolinhas fritas recheadas com açúcar e amêndoas; o dogh, mistura de gelo ralado, xarope, iogurte e água semi congelada; e a tangzaza, triângulos de arroz glutinoso envolto em folhas de bambu, e coberto com xarope.

Se ainda houver espaço no seu estômago para um lanchinho da tarde, você pode tentar o serik ash, macarrão amarelo sem carne; o pintang, sopa de carne com legumes; o gang pan, arroz com legumes e carne; e, se você tiver coragem, o opke, caldo feito com cabeça de bode e intestino.

Culinária de Cantão

No que se refere à culinária chinesa, a província de Cantão, no sul da China, destaca-se bastante. A visão que muitos chineses têm da culinária de Guangzhou, capital da província de Cantão, é a de uma comida extremamente exótica. Até para os próprios chineses! No entanto, a culinária de Cantão é uma das, senão a mais influente culinária da China. Mesmo no norte do país, onde predomina um certo ar de superioridade em relação ao restante do país, muitos cozinheiros de classe reconhecem a supremacia dos cantoneses na hora de cozinhar.

Talvez essa aparente contradição entre o exótico e a alta qualidade aconteça pelo fato de a província de Cantão incluir não apenas sua capital, mas também o restante de seu território. Ou talvez essa contradição ocorra pelas diferenças culturais entre os chineses e o Ocidente, que consideram exótico o que para outros é corriqueiro, e vice-versa. Mas, independente das razões, o fato é que a gastronomia de Cantão tem um forte poder de atração, não somente entre os chineses, mas também entre os estrangeiros.

Em geral, a culinária cantonesa envolve métodos de preparo mais complexos do que em outras regiões. Por exemplo, vários pratos típicos de Cantão requerem um rápido cozimento a temperaturas super elevadas, o que demanda uma alta capacidade do cozinheiro. Além disso, parece que a culinária de Cantão é mais aberta à influência estrangeira, como se nota no preparo de pratos como porco agridoce, casquinha de siri, tempurá, entre outros.

A propósito, os frutos do mar têm forte presença na gastronomia de Cantão, o que, combinado com a importância que os cantoneses dão a comidas frescas, e o uso de uma enorme variedade de temperos e ingredientes, também ajuda a explicar o forte poder de atração da culinária de Cantão entre os estrangeiros. Por último, parece que a culinária cantonesa também sofreu grande influência da filosofia do Yin-Yang, já que seus pratos, comparados ao restante da culinária chinesa, não são nem muito salgados nem muito doces, nem muito apimentados nem sem sabor. Em outras palavras, buscam o equilíbrio, que evita o repúdio daqueles que não muito acostumados a excessos.

Pratos típicos de Cantão

Justamente pelo alto nível de aceitação que a culinária de Cantão exerce entre os estrangeiros, muitos são os pratos que poderíamos citar aqui. No entanto, entre os mais típicos encontram-se dois, que realmente são especialidades da gastronomia cantonesa.

gastronomia chinesa

O gulurou é um dos pratos da culinária chinesa com mais aceitação entre os brasileiros

Um deles é o Tángcù Guluròu (糖醋咕噜肉), pequenos pedaços de carne de porco envoltos em uma massa agridoce, extremamente saborosos. Como curiosidade, é interessante citar que este prato é bem popular no bairro da Liberdade, na cidade de São Paulo, apesar de receber nomes diferentes em cada restaurante. O outro prato típico de Cantão é o Cháshao (叉烧), preparado com bacon de porco e com sabor bem forte.

gastronomia da China

Chashao, um dos pratos típicos de Cantão

Culinária de Xi’an

Talvez você não tenha ouvido falar de Xi’an, mas com certeza já ouviu falar, ou ao menos viu alguma imagem dos Guerreiros de Terracota. Mais de 3000 guerreiros (estes são apenas os que estão à mostra, embora acredite-se que, no total, existam mais de 7000, estando o restante ainda enterrados) feitos em tamanho real, nenhum com o mesmo rosto, construídos para proteger o imperador Qín Shìhuáng (秦始皇) de seus inimigos, depois que ele morresse, no mundo dos mortos.

Mas os Guerreiros de Terracota não são a única coisa típica que podemos encontrar em Xi’an. A culinária de Xi’an também oferece muitas opções difíceis de encontrar em outras regiões. Algumas delas, mesmo quando existentes em outras partes, são em sua maioria adaptações resultantes da mistura entre a culinária de Xi’an e do lugar em que estão.

Pratos típicos de Xi’an

Ao menos dois pratos típicos de Xi’an devem ser citados.

O primeiro é o Ròujiamó (肉夹馍). Este prato é a alegria dos estrangeiros que vivem em cidades não muito internacionalizadas da China. Em cidades como Pequim, Shanghai, Guangzhou, Shenzhen ou Hong Kong, que sofrem forte influência estrangeira, a própria culinária chinesa sofre modificações, adaptando-se ao gosto estrangeiro para atender a demanda do mercado. Entretanto, nas cidades mais interioranas, com menor presença estrangeira, pode-se experimentar uma culinária chinesa mais genuína. Por um lado, isto representa uma chance única de experimentar pratos impossíveis de ser encontrados no Brasil. Por outro, às vezes se refletem na dificuldade de se encontrar produtos como queijo, chocolate, ou sanduíches.

culinária na China

Roujiamo, opção da culinária de Xi’an para quem quer comer um sanduíche relativamente natural, não processado

Nestas cidades, o Ròujiamó é justamente o mais próximo que se pode encontrar de um sanduíche, não artificial como no McDonalds ou no Burger King e, na verdade, mais parecido aos sanduíches dos carrinhos de lanche no Brasil. Ele é feito com um tipo de pão típico de Xi’an, e recheado com carne de porco e diversos temperos. Também pode-se adicionar ingredientes como tofu, ou raiz de flor de lótus (falaremos dela no próximo tópico). Para os vegetarianos, há a opção do Càijiamó (菜夹馍), que em vez de carne, utiliza opções vegetarianas.

gastronomia chinesa

Paomo, prato típico de Xi’an, que consiste em uma sopa com vários ingredientes, incluindo pão

Outro entre os pratos típicos de Xi’an é o Yángròu pàomó (羊肉泡馍), sopa na qual uma fatia lisa de pão branco é ligeiramente amassada em uma tigela, para posteriormente receber a adição de carne de carneiro, macarrão e um caldo com diversos temperos. Com certeza não é igual à canja da sua mãe ou da sua avó, mas ainda assim é uma boa opção pra quem quer experimentar algo diferente no frio.

Culinária da China Central

A região central da China, justamente por estar “no meio” do país, sofreu influência tanto da culinária chinesa do norte como da culinária chinesa do sul. Assim, a maioria dos pratos, nesta região, são feitos ou à base de macarrão (pela influência da culinária chinesa do norte), ou à base de arroz (culinária chinesa do sul). As duas províncias chinesas mais centrais, Hubei e Chongqing, são um exemplo disso, mas oferecem ainda mais opções do que apenas arroz e macarrão, como mostramos a seguir.

Pratos típicos de Hubei

A culinária de Hubei sofre grande influência de sua capital, Wuhan. Desta cidade, provêm duas especialidades mais famosas: o Règanmiàn (热干面), e a raiz da flor de lótus.

culinária chinesa

Reganmian, especialidade de Wuhan, feito com molho de gergelim

O règanmiàn é um tipo de macarrão de fios finos, acompanhado de um molho de gergelim com coloração amarronzada, e de sabor forte. Ao adicionar o molho ao macarrão, é preciso misturar bem essa combinação durante alguns segundos, antes que o molho fique ressecado, já que sua consistência é bem espessa. É comum ver a população comendo règanmiàn no café-da-manhã, mas não há uma regra. Seja no almoço, no lanche da tarde ou na janta, qualquer hora é hora de règanmiàn para os chineses da região.

culinária da China

Bem comum na culinária chinesa, a raiz da flor de lótus apresenta grande quantidade de vitaminas

Mas a província de Hubei também á famosa pela produção da raiz da flor de lótus, principalmente a do tipo vermelha, diferente da produzida no norte da  China. Por ser de origem vegetal, essa raiz possui muitas vitaminas, e pode ser preparada de várias maneiras diferentes. Uma delas é crua, como salada, o que a deixa com uma consistência um pouco mais crocante. Caso se opte por refogá-la, a raiz da flor de lótus adquire uma consistência mais macia. Por último, ainda há a opção de fazê-la à milanesa, o que lhe confere um sabor um pouco mais forte, e mais parecido com o que a maioria dos brasileiros está acostumada.

culinária chinesa

A raiz da flor de lotus pode ser comida crua, cozida ou à milanesa

Pratos típicos de Chongqing

Por se localizar ao lado da província de Sichuan, mais a oeste, a província central de Chongqing recebeu bastante influência de sua vizinha ao longo da História. No que diz respeito à culinária chinesa, esta influência é óbvia.

Ambas são conhecidas em todo o território chinês por sua gastronomia fortemente apimentada. Alguns chineses até brincam, e dizem que, ao chegar nessas províncias, é bom ter cuidado com o leite, porque até ele é apimentado. Isso acontece porque até o ar por ali é tão apimentado, que as vacas dessa região, só de respirarem, já começam a produzir leite apimentado. Brincadeiras à parte, a comida local é apimentada de fato, mas sempre existe a opção de pedir pratos sem pimenta.

pratos típicos chineses

No huoguo, ou hotpot, você escolhe tudo o que vai querer, e depois escolhe em qual caldo vai colocar o que escolheu, o caldo apimentado ou o sem pimenta

O prato mais comum do local é o hotpot, palavra de origem inglesa, que se traduz como “caldeirão quente”. Esse prato é tão popular, que até as mesas dos restaurantes que o servem são preparadas para ele, possuindo uma resistência elétrica em seu centro. Além disso, muitos o consideram como sendo não apenas uma especialidade local, mas sim de toda a culinária chinesa. Primeiro, o cliente escolhe o caldo que vai querer, apimentado ou não. Em seguida, o garçom traz a panela com o caldo já pré-aquecido, e a resistência elétrica da mesa faz com que ele termine de ferver. Depois de fervido, todo tipo de comida pode ser mergulhado nele, incluindo legumes, verduras e carnes.

Como todas as pessoas da mesa comem da mesma panela, colocada no meio, o hotpot é ideal para refeições em grupo, já que cria uma atmosfera coletiva e propicia a conversação.

Culinária de Yunnan

A província de Yunnan é conhecida pela grande quantidade de minorias étnicas que vivem ali, já que mais da metade das minorias étnicas da China se encontram nesta província. Essa diversidade cultural, como era de se esperar, reflete-se também na culinária local.

Em Kunming, cidade da eterna primavera e capital da província, as flores de múltiplas cores, presentes ao longo do ano, encontram seus equivalentes gastronômicos nos pratos de múltiplas origens e múltiplos sabores da cidade, o que confere à culinária chinesa naquele local um caráter extremamente diverso. Mas o restante da província vai ainda mais além no leque de opções que nos oferece. Vejamos alguns pratos típicos de lá.

 

Pratos típicos de Yunnan

De maneira geral, Kunming centraliza os pratos mais famosos de Yunnan, que são o qìguoji (汽锅鸡), frango cozido juntamente com infusão de ervas, que possuem propriedades medicinais diferentes, dependendo da erva utilizada; o queijo do leite de cabra; e o prato mais famoso de toda a província de Yunnan, o guòqiáo mixiàn (过桥米线), ou apenas mixiàn.

pratos chineses típicos

Mais um entre os pratos chineses típicos, o Qiguoji é uma especialidade de Yunnan

Uma tradução aproximada para esse nome pode ser “macarrão que cruza a ponte” (ou Across-the-bridge noodles, em inglês), porque acredita-se que tenha sido inventado pela esposa de um estudante do império, na China antiga, que cruzava uma ponte todos os dias para levar o prato a seu marido, recluso em uma ilha para aprimorar seus estudos.

O mixiàn consiste em uma tigela com sopa bem quente, feita com frango e carne de pato, com uma fina camada de óleo flutuando acima. Acompanhando essa sopa, tem-se carne de porco (ou ainda frango e peixe, dependendo do lugar), legumes e ovos, além de um prato de macarrão feito à base de arroz. Todos os ingredientes são colocados juntos na sopa, e são rapidamente cozidos pelo caldo fervente.

culinária chinesa

Mixian, prato que, além de típico, ainda vem carregado de história

O qìguo, mencionado acima, é na verdade uma especialidade da cidade de Jianshui. Lá, ele é feito com uma raiz típica da localidade, e encontrada somente lá, que se chama “dente de elefante”, e tem um sabor mais ou menos parecido ao bambu. Ela é comumente preparada junto com o caldo, mas também pode ser frita juntamente com fígado ou carne de porco.

Jianshui ainda é famosa por sua outra especialidade, o jianshui shaokao (建水烧烤), ou “churrasco de Jianshui”. A maioria dos restaurantes que servem este prato, também servem opções vegetarianas, tofu e, às vezes, queijo de cabra.

pratos típicos chineses

O Jianshui shaokao é um dos pratos típicos chineses que se adapta facilmente ao gosto estrangeiro

Além de Jianshui, a cidade de Dali também oferece ao visitante opções que levam ingredientes encontrados somente por lá. É o caso rushàn (乳扇), mistura de iogurte com leite que adquire a forma de uma camada fina e comprida, que é frita ou derretida, e comida juntamente com outros pratos. Outra especialidade de Dali é o erkuài (饵块), parecidos com bolinhos de arroz torradinhos. Com relação às carnes, é bom ficar atento, já que, em geral, são servidas com grandes quantidades de gordura.

gastronomia chinesa

Rushan, outro prato típico de Yunnan

Depois de Kunming, a cidade mais importante de Yunnan é Lijiang. Sua especialidade é o baba, pão de trigo grosso e liso, que às vezes é servido puro, e às vezes recheado com carne, legumes, verduras ou ainda recheios doces. Juntamente com o baba, muitas pessoas gostam de comer o omelete e o sanduíche típicos de Lijiang. Para acompanhar, há ainda a opção de qing méi jiu, um vinho feito à base de ameixa, também típico de lá.

Por último, em Jinghong você pode experimentar peixe assado, enguia ou bife cozidos com limão, ou servidos com amendoim e molho de tomate. Para os vegetarianos, há a opção de bambu, preparado do mesmo modo.

 

Curiosidades sobre a culinária chinesa

Para você que quer saber ainda mais sobre a culinária chinesa, recomendamos o documentário “A Bite of China” (título original em chinês 舌尖上的中国), a mais importante referência no assunto. São várias séries, mais facilmente encontradas em chinês ou inglês, todas bem produzidas, que mostram vários pratos típicos chineses sendo preparados, além de fornecer informações diversas sobre eles, como sua história e sua relação com a cultura chinesa. Para assistir a um dos capítulos, clique na imagem abaixo. Para saber mais acerca do que o documentário não menciona, continue lendo nosso artigo, onde comparamos a culinária chinesa com a culinária de outros países, explicamos a relação entre a escrita e a culinária chinesa, e discorremos um pouco acerca da qualidade da gastronomia chinesa.

comida chinesa

 

Culinária chinesa e culinária de outros países

Quando comparam a culinária chinesa com a culinária de outros países, muitos chineses têm a seguinte visão: os japoneses, quando comem, também levam em consideração os nutrientes dos alimentos, assim como os chineses. No entanto, eles “usam os olhos para comer”, o que significa dizer que, para os japoneses, a aparência da comida é muito importante, um prato belo de se olhar seria um dos aspectos mais importantes da alimentação.

Já os franceses, utilizam o coração e a mente na hora de comer. Que tipo de comida combina com vinho tinto? Que tipo de comida combina com vinho branco? Essas seriam perguntas que os franceses se fazem constantemente na hora de comer, de acordo com essa visão.

Ainda de acordo com ela, os norte americanos utilizam o cérebro para comer, levando em conta questões como “será que se pode comer isso?”, ou “será que aquilo é higiênico?”.

Comparando a culinária chinesa com a culinária desses três países, os chineses não se importariam tanto com todas essas questões, mas sim com o gosto da comida, se é apimentada, salgada, rala, aguada, etc. É claro, essa visão sofre muitas críticas, já que os franceses também são conhecidos por montarem pratos belos e elegantes, e os norte americanos nem sempre são tão racionais quando comem no McDonalds ou no Burger King, por exemplo.

No entanto, essa visão mostra a importância que os chineses dão para a culinária chinesa, e o quanto ela está presente na cultura chinesa e na vida dos chineses. Para os estrangeiros que vivem na China, fica evidente que conhecer melhor a gastronomia chinesa é parte do processo de adaptação ao país, e também de um maior entendimento dos costumes do povo chinês.

 

A escrita e a culinária chinesa

A importância da gastronomia chinesa é tão grande para os chineses, que chega a influenciar até mesmo a escrita chinesa. Por exemplo, a culinária de Cantão, no idioma chinês, é conhecida pelo caractere, ou ideograma 粤 (pronuncia yuè). Note que, na parte de cima do ideograma, dentro do quadrado, está o símbolo 米 (pronuncia mi). Este símbolo significa “arroz”. Quando é colocado dentro daquele quadrado, adquire o significado de “armazenar”, ou “estocar” arroz, que é exatamente o que faziam os chineses antigos que viviam no sul (já comentamos da importância do arroz no sul da China, em contraste com a importância do macarrão, no norte).

Outro ideograma que sofreu influência da culinária chinesa em seu processo de formação, é o ideograma utilizado para descrever a culinária de Shandong, região onde viveu Confúcio. O ideograma em questão é 鲁, pronunciado lu. A parte de cima deste caractere é composta pelo símbolo 鱼, pronunciado , e cujo significado é “peixe”, prato essencial na culinária da região.

Do mesmo modo que esses caracteres, centenas de outros sofreram influência da culinária chinesa. Mais um indício da forte presença da culinária chinesa na vida do povo chinês.

 

A qualidade da culinária chinesa

Muitos brasileiros acreditam que a culinária chinesa é suja, e com ingredientes estranhos. É claro que existem muitos restaurantes chineses sujos, assim como no Brasil e em outros países, mas nem todos são assim. Em 2015, dois restaurantes chineses ficaram entre os 50 melhores restaurantes do mundo. Para conhecer alguns dos melhores restaurantes chineses, clique aqui.

Além disso, aqueles “ingrediente estranhos”, como carne de cachorro, escorpião ou barbatana de tubarão, não são tão rotineiros como muitos estrangeiros pensam. Sim, eles podem ser encontrados em várias cidades e várias regiões da China com relativa facilidade, mas não são parte essencial da culinária chinesa. Em outras palavras, não são o “arroz com feijão” dos chineses. Note que a grande maioria dos pratos que citamos aqui, mesmo os que levam ingredientes raros e difíceis de encontrar no Brasil, não são feitos com ingredientes tão “estranhos” assim.

Aos que têm interesse na China, ou aos que desejam experimentar coisas novas, a culinária chinesa oferece muitas opções. Bom apetite a todos!

 

Por Gabriel Condi, diretamente de Wuhan, Hubei, China

Fontes: Lonely Planet China; CCTV; China Link Trading; Mundo Educação; livro 汉语口语, da série 准高级; livro 汉语教程, da série 对外汉语本科, 3º volume; Comidas Típicas.

Gostou desse artigo? Então veja muito mais em nossa página do Facebook, em nosso blog e em nosso site.