Compras de Natal na China: um hábito cada vez mais comum

A partir dos anos 2000, o Natal passou a ganhar cada vez mais popularidade na China. Mais e mais pessoas passaram a considerar a data especial. Mesmo que para muitos a data não tenha o sentido religioso, as pessoas consideram uma boa época para trocar presentes com seus amigos, parceiros e entes queridos. Vamos descobrir como são as compras de Natal na China!

 

O Natal cada vez mais presente na China

A China é um país de tradição milenar, com uma religião tradicional própria, então muitos chineses não comemoram o Natal. Por lá a data não é considerada um feriado oficial pelo Estado, então as pessoas trabalham normalmente. Entretanto, o Natal no sentido comercial é cada vez mais popular no país, isso porque os chineses gostam de trocar presentes, e pelo costume da troca de presentes no Natal, a data começou a ganhar cada vez mais popularidade no país. Mesmo assim, a data é vista como “algo especial” majoritariamente pelas pessoas que moram nas regiões urbanas do país, afinal, nessas áreas a exposição à cultura e aos hábitos ocidentais é bem mais intensa do que para aqueles que vivem no campo.

 

Image by: GBTimes

 

Para os que estão expostos à prática do Natal, a data é festiva, como um dia para se reunir com amigos e familiares, e para alguns chineses mais jovens, é também uma data romântica, onde os casais podem sair juntos e trocar presentes. Sendo assim, a busca por presentes somada ao constante aumento da renda de grande parte da população chinesa, transforma a época em um verdadeiro “paraíso” para os comerciantes. O Natal se manifesta de formas variadas nos diversos centros urbanos da China, sendo que Hong Kong e Shanghai são os que têm maior destaque.

 

Hong Kong e Shanghai: onde o ocidente se destaca

Uma cidade que se destaca na comemoração do Natal e principalmente nas compras é Hong Kong. Devido ao longo período de domínio britânico, muito da cultura destes foi preservada na sociedade de Hong Kong, por isso, diferentemente do resto do país, em Hong Kong o dia 25 de dezembro é considerado um feriado, assim como o dia 26 de dezembro, que é conhecido por lá como “Boxing Day”. O “Boxing Day” é uma tradição britânica na qual as pessoas vão às compras no dia seguinte ao natal para aproveitar os preços mais baixos das mercadorias que sobraram nas lojas após o fim das festividades natalinas. É uma boa oportunidade de negócio para os comerciantes.

Shanghai é outra cidade que vivencia intensamente a época de compras de Natal, onde os comerciantes enchem suas lojas de decorações natalinas e músicas típicas natalinas são ouvidas em todos os lugares. É possível encontrar já a partir de novembro uma enorme variedade de opções de presentes nos vários mercados de Natal que se espalham pela cidade. Os mercados de Natal de Shanghai seguem o modelo europeu, com comidas, bebidas e músicas típicas da época do Natal.

 

Image by: Shanghai Properties

 

Um dos mais populares mercados natalinos é o “Paulaner Bräuhaus Christmas Market” que promete uma experiência natalina típica europeia, mas principalmente alemã. O mercado vende as mais diversas decorações natalinas, desde árvores de Natal, decorações em vidro para as árvores, brinquedos de madeira, além de oferecer diversas comidas típicas da culinária alemã, como “pretzels” e as salsichas “bratwurst”. Apesar de o mercado ter feito seu nome em Shanghai, o mesmo foi realizado em Pudong, nos dias 7, 8 e 9 de dezembro desse ano.

 

O lucro para as empresas e o consumo para o governo

Com a época do Natal, grandes marcas percebem o enorme potencial do mercado chinês, com um mercado consumidor de centenas de milhões de pessoas e uma popularidade crescente do Natal. Por isso, as companhias estrangeiras elaboram enormes estratégias de marketing para atrair mais clientes no país, o que tem tido sucesso. Não apenas as marcas estrangeiras se beneficiam das compras natalinas, mas as marcas chinesas também. As marcas chinesas querem passar uma imagem de maior abertura às outras culturas, como que abraçando a diversidade cultural do mundo e trazendo o hábito de presentear as pessoas queridas na época do Natal.

Outro setor que se beneficia do alto consumo provocado pela época do Natal é o governo chinês, que tem a intenção de transformar a economia do país. Ao invés de uma economia que confia nos pesados investimentos estatais, o governo chinês pretende transformar o modelo econômico chinês em algo voltado bem mais para o consumo, visando rendimentos mais estáveis e duradouros. Por isso o governo em Pequim aceita razoavelmente a comemoração do Natal (majoritariamente no sentido comercial) no país.

 

Image by: ThoughtCo.

 

É possível perceber que a sociedade chinesa está deixando cada vez mais seu isolacionismo, principalmente em termos culturais, e abraçando novas e diferentes comemorações que o resto do mundo pratica. Isso possibilita uma troca cultural muito positiva entre os povos, além de beneficiar os consumidores, os comerciantes, a economia e a sociedade em geral, dinamizando o costume da troca de presentes e aumentando os bons momentos de convívio e comemoração junto das pessoas queridas.

Fontes: China Highlights, Forbes, The Atlantic, CNBC.
Por Arthur Bonsaglia, diretamente de Marília, SP.

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário