Como importar Airsoft no Brasil?

As primeiras coisas que quem acessa esse artigo deve estar se perguntando são: vale mais a pena importar uma Airsoft, ou comprar no Brasil mesmo, uma vez que existem taxas e regulamentações para produtos controlados do tipo? E a resposta é: vale mais a pena importar. Primeiramente, porque os preços têm diferenças enormes, sendo possível você encontrar o mesmo produto por muito menos da metade do valor de venda aqui no Brasil, mesmo com o pagamento das taxas de importação inclusas. Em segundo lugar, em relação à regulamentação, o processo é bem mais simples do que aparenta, como será explicado ao longo do artigo.

O que é o Airsoft?

Muitos já ouviram falar sobre Airsoft, esporte que, usando réplicas de armas muito parecidas com as reais e que não utiliza munições reais, além de ter se tornado uma popular forma de diversão, também é utilizado como forma de treinamento até mesmo por exércitos. O esporte nasceu na década de 70, no Japão, onde utilizavam armas cujas partes externas eram idênticas às armas de fogo, mas, entretanto, atiravam bolinhas de plástico, por exemplo. Devido a restrições em relação à obtenção de armas de fogo, em países como China, Taiwan e Macau, o esporte se popularizou, além de ser nesses países que a maior parte das armas Airsoft são fabricadas. Por exemplo, em Taiwan, no ano de 2017, ocorreu a primeira Copa do Mundo de Airsoft, contando, inclusive, com a participação de brasileiros.

É importante lembrar que, como se trata de uma réplica muito parecida com a realidade, é obrigatório que, quando for utilizar ou comprar o equipamento, este tenha uma marcação laranja ou vermelha, dependendo o modelo, para identificar que não é uma arma de fogo. Abaixo, confira um vídeo feito pelo Lincoln Fracari explicando um pouco mais sobre a importação de Airsoft no Brasil!

 

 

O Airsoft no Brasil

Em 2003, a Airsoft passou a ser divulgada no Brasil, através do Portal Airsoft Brasil. Entretanto, inicialmente, era um pouco complicado para obter uma. Assim como é necessária uma autorização para o porte de armas de fogo, também era preciso ter um Certificado de Registro (CR) para utilização de armas de pressão, uma vez que as armas de Airsoft a gás também são consideradas como Produto Controlado pelo Exército (PCE) que, por sua vez, requeria um processo burocrático um pouco complicado.  Entretanto, a partir de junho de 2017, a portaria número 56 da COLOG (Comando Logístico do Exército Brasileiro) decretou o fim da obrigatoriedade do CR para aquisição de armas de pressão à gás. Portanto, qualquer pessoa que utilize desse tipo de equipamento para lazer, esporte ou qualquer outra atividade não criminosa, não precisa se registrar no exército.

Airsoft
Uma ideia de como é “brincar” com Airsoft

Como importar o Airsoft?

Todavia, para importação de Airsoft, ainda é necessário seguir alguns procedimentos. Armas de pressão tem sua importação controlada, isto é, necessitam da expedição de um Certificado Internacional de Importação (CII), que é um documento necessário para a entrada de todo e qualquer produto que seja controlado, ou seja, inclui também os acessórios de armas e munição. Além disso, também é necessário o pagamento de uma taxa referente à Fiscalização de Produtos Controlados, o qual requer a emissão de um Guia de Recolhimento da União (GRU). Para maiores informações e emissão, acesse: http://www.dfpc.eb.mil.br/index.php/gru-instrucoes

Airsoft
Alguns dos modelos mais populares de Airsoft

Importante apontar que, para armas de pressão com calibre superior à 6 mm, é necessário, além do CII, o CR de atirador desportista.

Para a expedição do seu Certificado Internacional de Importação, é preciso acessar o site da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados (DFPC), para baixar o documento e preenche-lo.

Com o documento em mãos, agora o próximo passo é escolher o produto de sua preferência em algum site, se atentando aos dados da própria loja, que serão necessários para o preenchimento do CII. O documento deve ser preenchido com as informações exatas do produto, pois caso ocorra a menor diferença, mesmo em relação à cor especificada, poderá ser passível de inconformidade, e o produto poderá ser devolvido, recusado ou até apreendido.

Em relação à quantidade de produtos que se deseja importar, segue uma citação da própria DFPC:

“No que diz respeito à quantidade de armas a serem importadas, informo que, se pessoa física, as armas devem ser de modelos diferentes, em quantidade reduzida. Se forem várias armas de um único modelo, ou grande quantidade, fica caracterizada comércio, então será necessário CR de pessoa jurídica. É um detalhe para o qual se deve atentar.”

Dos documentos necessários ao enviar a sua CII, temos:

-Cópia do seu CR (caso possua um);

-Comprovante de pagamento da GRU, cópia original (não pode ser pagamento via internet);

-Cópia de documento de identidade (autenticada);

-Comprovante de endereço;

Certidões negativas Criminal do 1º e do 2º Distribuidor,  da Justiça Militar e da Justiça Federal no site. (somente 1 via de cada)

 

Preenchida a sua CII, é só enviar ao endereço especificado no site da DFPC indicado acima, juntamente com os documentos listados. Boa diversão!

Airsoft

Fontes: DFPC, e “Como Importar Armas de Airsoft da China” vídeo no canal do China Link no YouTube.

Por Caroline Malheiros Costa, diretamente de Marília, SP, Brasil

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário