Cidades mais Caras do Mundo:quais são?

Anualmente, a empresa de consultoria estadunidense Mercer divulga um ranking das cidades mais caras do mundo para expatriados viverem. Em sua 22ª edição, a empresa liberou a nova lista referente ao ano de 2016, onde foi possível perceber os destaques chineses entre as primeiras posições. Então, quais seriam as cidades mais caras do mundo? A resposta a essa pergunta é muito importante para empresas que desejam se aventurar em negócios no exterior. Você sabe por quê?

ciddades mais caras do mundo
O custo de vida das cidades pode influenciar em seus negócios no exterior

 

O ranking das cidades mais caras do mundo

A Pesquisa de Custo de Vida da Mercer inclui 209 cidades ao redor do globo em sua análise, levando em consideração mais de 200 itens comparativos em categorias como moradia, transporte, alimentação, vestimentas, artigos domésticos e entretenimento.  Após comparações nesses setores, é divulgado anualmente o ranking das cidades mais caras do mundo para os estrangeiros viverem. Os diversos níveis de inflação de bens e serviços, flutuações cambiais e instabilidade de preços das acomodações são fatores vistos como importantes influências para a diferença dos custos de vidas entre os locais analisados.

cidades mais caras do mundo
Antes de expatriar funcionários, analise o custo de vida das cidades de diferentes países

 

Expatriação: uma opção que demanda atenção das empresas

Em um mundo de mercados um tanto quanto voláteis, influenciados por diversos fatores internos e externos, é imprescindível para uma empresa que deseja ter sucesso no exterior se preparar adequadamente para seus planos de expansão. Entre os diversos fatores que devem ser considerados pelos empresários para os desafios internacionais, um deles é o impacto de custos sobre expatriados sobre o capital da companhia.

A expatriação no mundo dos negócios é o ato de transferir um profissional (com ou sem seus familiares) a uma subsidiária da empresa localizada em outro país. Mesmo com os avanços tecnológicos e as conexões de força de trabalho no mundo globalizado atual, implantar funcionários em outros países é considerado como um importante fator para companhias multinacionais. Assim, essa é uma opção que deve demandar muita atenção por parte dos empresários.

 

cidades mais caras do mundo
É importante saber quais são as cidades mais caras do mundo antes de se expatriar funcionários

 

Expatriação e as cidades mais caras do mundo

O ranking da Mercer das cidades mais caras do mundo é realizado justamente para auxiliar esses tipos de empresas, organizações e governos a ajustarem determinadas estratégias de compensação de custos por esses profissionais expatriados. De acordo com as informações dessa lista, seria possível uma garantir uma melhor organização acerca, por exemplo, da remuneração dos expatriados, do período de permanência e quais os destinos mais adequados, o que impactariam sobre o estabelecimento de valores salariais justos aos profissionais, redução de custos desnecessários a empresas e a maximização do retorno do investimento de se enviar um profissional ao exterior, aumentando a competitividade da companhia a nível internacional.

Ou seja, somente ao se considerar os custos de vida das diferentes cidades ao redor do mundo é que se poderá decidir se a expatriação será uma alternativa viável, e caso ela seja, qual o destino mais adequado aos profissionais realocados em outros países.

 

cidades mais caras do mundo

 

As cidades mais caras do mundo

No recente ranking de 2016, publicado em junho e construído a partir de dados coletados em março do presente ano, foi possível observar a forte presença de cidades asiáticas entre as 10 primeiras posições.  Quais seriam, enfim, as cidades mais caras do mundo para expatriados?

 

cidades mais caras do mundo
Hon Kong, a cidade mais cara do mundo

1-Hong Kong (China)

Considerada atualmente como Região Administrativa Especial da China, herdou de seu passado de colônia britânica características muito particulares à cidade, que apresenta não somente uma cultura diferente do restante do país asiático, mas também um sistema político e econômico, incluindo leis e moeda próprias (dólar de Hong Kong). Hong Kong não somente é a cidade mais visitada do mundo, bem como um dos principais centros financeiros do planeta, (demonstrando facilidades excepcionais de mercado), mas alcançou o primeiro lugar do ranking das cidades mais caras do mundo para expatriados em 2016.

Luanda, na Angola, a segunda cidade mais cara do mundo
Luanda, em Angola, a segunda cidade mais cara do mundo

2- Luanda (Angola)

A capital e maior cidade da Angola, que liderava o ranking em 2015, foi desbancada por Hong Kong e atualmente é considerada como a segunda cidade mais cara do mundo para expatriados. Com cerca de 6 milhões de habitantes, a cidade mais cara da África perdeu  uma posição no ranking devido ao enfraquecimento da moeda local e ao aumento do investimento em infraestrutura, que diminuiu os custos com moradia.

cidades mais caras do mundo
Zurique (Suíça): a mais cara da Europa, a terceira do mundo

3- Zurique (Suíça)

A cidade mais cara da Europa é também um dos principais centros bancários do mundo. Com aproximadamente 380.000 habitantes, Zurique ostenta ainda o posto de cidade com um dos melhores índices de qualidade de vida do globo.

 

cidades mais caras do mundo
Estátua de Merlion, um dos marcos de Singapura

4-Singapura (Singapura)

A cidade-Estado insular é mais uma representante asiática nessa lista. Considerada pelo Banco Mundial como “ o lugar mais fácil de se fazer negócios”, chama a atenção de empresas de todo o mundo, o que contribui para o seu alto custo de vida.

 

cidades mais caras do mundo
Tóquio, capital japonesa figura em quinto lugar

5- Tóquio ( Japão)

A capital japonesa subiu seis posições desde o ano passado na lista das cidades mais caras do mundo, figurando agora, em 5º lugar.  Esse fato estaria muito ligado ao fortalecimento da moeda do país, o iene japonês.

 

 

cidades mais caras do mundo
Centro de Kinshasa, a sexta cidade mais cara do mundo

6- Kinshasa (República Democrática do Congo)

Com mais de 13 milhões de habitantes, a capital da República Democrática do Congo subiu sete posições desde o ano passado no ranking das cidades com os maiores custos de vida do mundo. Esse aumento estaria ligado aos fortes investimentos chineses na região.

cidades mais caras do mundo
Shanghai, a sétima cidade com o maior custo de vida para estrangeiros

7- Shanghai ( China)

A cidade mais populosa da China com mais de 24 milhões de habitantes, caiu um lugar no ranking devido à desvalorização da moeda chinesa em relação ao dólar americano, que acabou influenciando também nas posições das demais cidades do país ( com exceção de Hong Kong, que possui moeda própria). Mesmo com a queda, Shanghai permanece entre as cidades mais caras do mundo.

 

cidades mais caras do mundo
Sede da ONU em Genebra, Suíça

8- Genebra (Suíça)

A segunda cidade mais populosa da Suíça ( perdendo apenas para Zurique), também é um grande centro financeiro do mundo. Caiu três posições quando comparada ao ano anterior, mas continua entre as dez cidades mais caras do mundo.

Em 9º lugar, N’Djamena, a capital do Chade
Em 9º lugar, N’Djamena, a capital do Chade

9- N’Djamena (Chade)

A capital do Chade é também o maior mercado e rota de alimentos do país, localizado na porção norte da África. A cidade sofreu um impressionante boom populacional, aumentando em 100 vezes seus habitantes nos últimos 70 anos.

 

cidades mais caras do mundo
Pequim, a décima cidade mais cara do mundo

10- Pequim (China)

Mais uma cidade chinesa entre as dez cidades mais caras do mundo. A capital, mesmo demonstrando alarmantes índices de poluição, caiu três posições no ranking, mas ainda permanece com altos custos de vida para expatriados.

 

cidades mais caras do mundo
Shenzhen, uma das cidades chinesas mais caras

 

As Cidades mais Caras da China

A desvalorização da moeda chinesa, o Yuan, frente ao dólar americano foi vista como o principal fator que colaborou com a queda de posições das cidades do país no ranking das cidades mais caras do mundo. Ou seja, em sua maioria, está mais barato para expatriados viverem na China. A exceção de Hong Kong, que despontou em primeiro lugar, pode também ser ligada ao fato de que a Região Administrativa Especial da China possui sua moeda própria. Mesmo assim, é visível que as cidades chinesas ainda detêm posições importantes nesse ranking. Além de Shanghai (7ª) e Pequim (10ª), a China ainda aparece na lista de 209 cidades através de: Shenzhen (12ª), Guangzhou (18ª), Nanjing (29ª), Tianjin(30ª), Shenyang (31ª), Qingdao (33ª), Chengdu (34ª).


Algumas Comparações

cidades mais caras do mundoComo dito anteriormente, a lista de cidades mais caras do mundo é realizada através da comparação entre mais de 200 produtos e serviços oferecidos em cada local. Acima, um exemplo do comparativo de preços proveniente de informações coletadas pela Mercer, fatores considerado na construção do ranking. Os valores estão em dólar americano (USD).

cidades mais caras do mundo
Avenida Paulista em São Paulo, a cidade brasileira mais cara para expatriados

E o Brasil?

As cidades brasileiras estão longe de figurarem nas primeiras posições das mais caras do mundo. São Paulo é a que apresenta o lugar mais elevado na lista, atingindo a 128ª posição. Comparada ao ano anterior, a queda foi brusca: em 2015, a metrópole estava no 40º lugar.  O Rio de Janeiro, hoje na 156ª posição, era 67º na lista anterior, enquanto a capital, Brasília, hoje  190º no ranking, caiu 40 posições no mesmo período. A crise financeira e política, além da desvalorização do real frente ao dólar americano, poderiam ser vistos como fatores que influenciaram nesse novo cenário brasileiro, tornando mais barato aos estrangeiros viverem no país.

É importante perceber que as cidades mais caras do mundo representam importantes oportunidades no mercado mundial. Agora que já conhece quais são, pronto para construir as melhores estratégias para seus negócios no exterior?

Por Camila Sakamoto, diretamente de São Paulo, SP, Brasil

Fontes: Mercer, Business Insider,Catho, El País

Gostou desse artigo? Então veja muito mais em nossa página do Facebook, em nosso blog e em nosso site

 


Veja Também


Deixe seu comentário