September 15 2018

Maior importadora do mundo será a China!

Posted by Victor Fumoto

A ascensão e prosperidade econômica da China tem sido impressionante nas últimas décadas. Não é surpresa que a atividade econômica e de negócios com a China está expressivamente alta. Em um mundo cada vez mais marcado pelos negócios, decorrência da globalização, a China acaba ganhando maior destaque. Isso por conta da sua grande cultura de comércio, importadora e exportadora. Assim, os economistas predizem que a China se tornará a maior importadora do mundo!

Depois de conferir alguns textos sobre importação e como fazê-lo sem correr riscos, vale a pena conferir também alguns aspectos sobre essa grande “máquina de fazer negócios” que é a China.

 

A China pode se tornar a maior importadora do mundo

É esperada, nos próximos anos, que a China se torne a maior importadora do mundo. Caso isso se concretize, isso significa que a China passará os Estados Unidos da América enquanto maiores importadores do mundo.  Diversas empresas chinesas de investimento e negócios têm essa previsão. A estimativa é a de que isso aconteça dentro de aproximadamente cinco a dez anos. Assim, se tornaria a maior importadora do mundo por volta do ano de 2025.

Tal estimativa está embasada em alguns dados importantes e expressivos. Um exemplo disso é o dos negócios chineses aumentando com grande frequência. Nos últimos dez anos, o crescimento médio anual das importações da China foi 6 pontos percentuais maior do que nos Estados Unidos.

 

As condições para ser a maior importadora

As condições para tal estimativa de crescimento são duas. Em primeiro lugar, esse hiato de crescimento precisaria permanecer em 2018.  Em segundo lugar, é necessário que o crescimento seja ao menos moderado em 0,15 ponto percentual em cada um dos anos seguintes. Desse modo, em um cenário de linha de base, o país se tornará o maior importador mundial até 2022. É o que afirma um relatório divulgado pela China International Capital Corporation (CICC). Por uma estimativa mais conservadora, a China se tornará o maior importador até 2025, informou a CICC.

 

 

O aumento das importações do país tem um impacto global significativo. Ela é o maior importador de 41 países e regiões, comparado os Estados Unidos (36). Com as importações provavelmente superando as exportações nos próximos anos, o comércio exterior da China se tornará mais equilibrado, como tem sido nos últimos dois anos, de acordo com o CICC.

Além disso, a Agência previu que o superávit comercial de bens e serviços representou cerca de 1% do PIB em 2017, o nível mais baixo desde 1994. Apenas um lembrete: Um superávit comercial é a situação de quando as exportações são maiores que as importações em um país.

 

A China ruma à maioridade de mercado consumidor

A China possivelmente será também o maior mercado consumidor do mundo nos próximos anos. A diferença é sutil. Se de um lado ela se tornará a maior importadora de produtos relacionados à indústria, de outro ela começará a importar mais produtos relacionados aos consumidores. Seu crescimento se torna cada vez mais impulsionado pelo consumidor.

 

 

A ascensão dos consumidores chineses, com seu significativo efeito positivo sobre o resto do mundo, será a mais importante faísca para os investimentos nos próximos anos. Visto que a China é o país com a maior população mundial, ultrapassando os 1,3 bilhões, isso é cada vez mais verdade.

O outro lado da moeda e um balanço da exportação

A China é hoje o maior exportador mundial e o segundo maior importador. À medida que a economia doméstica se estabilizou e os preços globais das commodities se recuperaram, as importações nos primeiros dez meses do ano aumentaram 21,5% ano a ano, mostraram dados oficiais. Apenas um lembrete: commodities são produtos que funcionam como matéria-prima, produzidos em escala e que podem ser estocados sem perda de qualidade, como petróleo, suco de laranja congelado, boi gordo, café, soja e ouro.

 

 

Com o percentual de 13,2% do valor mundial de exportações, as mercadorias chinesas superaram US$ 2,1 trilhões. Os negócios com a China aumentaram muito, se comparados aos US$ 1,6 trilhão em importações. Já é o oitavo ano consecutivo da China no topo.

 

Por Rafael Nascimento, diretamente de Marília, SP.

Fontes: China Daily,Chin Link, Datamark, Economia Estadão, Jornal de Negócios, People’s Daily.

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +