China e Índia declaram fim do confronto no Himalaia

Na última segunda-feira (28/08), foi anunciado pela China e pela Índia a retirada militar da área estratégica do Himalaia, encerrando, assim, mais de dois meses de confrontos entre as grandes economias asiáticas naquela região.

Desde junho desse ano, a área montanhosa de Doklan (território localizado entre Índia, China e Butão) era o palco da tensão entre soldados indianos e chineses. A região permite à China o acesso a uma faixa de terra que conecta a Índia às regiões mais remotas no nordeste.

 

Índia
Soldado indiano na fronteira com a China

 

A região

A região extremamente estratégica fica ao oeste de Butão e ao leste do Estado indiano de Sikkim. A China considera a área de separação de seu território entre a Índia e o Butão cinco quilômetros mais ao sul do que é considerado pelos dois países.

Além da soberania da região sendo posta em questão, a militarização chinesa da área representa um problema estratégico para a Índia. O território é considerado por Nova Déli um ponto vulnerável no aspecto militar.

 

Índia

 

O conflito entre China e Índia

O conflito iniciou-se devido à alegação de Pequim, que acusa forças indianas de adentrarem na região, obstruindo a construção de uma estrada militar no planalto do Himalaia. Os chineses alegam que as ações indianas violam o acordo fechado em 1890 entre a China e o Reino Unido, de quem a Índia foi colônia até 1947.

Por outro lado, a Índia alega que a China tentou construir a estrada em território butanês, violando os acordos firmados entre os países. É importante ressaltar que Butão é altamente dependente de Nova Déli, capital da Índia, e não mantém relações diplomáticas com Pequim.

Após aproximadamente dois meses de conflito e de extensas negociações diplomáticas, a Índia anunciou na última segunda-feira (28/08) a retirada dos soldados da área, enquanto a China afirmou que as tropas chinesas permanecem patrulhando o lado chinês da fronteira.

Os comunicados oficiais não foram claros ou não indicam que as tropas chinesas também deixariam a região. Por sua vez, o Ministério Indiano de Relações Exteriores anunciou, em comunicado, a retirada rápida dos soldados do ponto de confronto.

Índia e China já possuem duas grandes disputas territoriais, e o setor de Doklam não constava entre as divergências; o território estava dentro de certo consenso.

 

Outros conflitos

Como dito, essa não é a primeira região de disputa territorial entre China e Índia. Há mais dois grandes conflitos entre os países, que já se prolongam há muito tempo. Ao norte, em Ladakh, a Índia reivindica a região de Aksai Chin controlada pela China. Ao leste, Pequim não reconhece a soberania indiana em Arunachal Pradesh, porque o considera parte do sul do Tibete.

Há alguns dias, soldados indianos e chineses se enfrentaram em Ladakh durante um novo incidente na fronteira. Essas regiões já resultaram em três conflitos diretos entre os países em 1962, 1967 e 1987.

Compartilhe conosco sua opinião nos comentários!

 

Por Nathália Gasparini, Marília, SP, Brasil

Fontes: DW; BBC; IstoÉ

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário