September 12 2018

Balança comercial Brasil-China e sua importância na economia brasileira

Posted by Victor Fumoto

Quando tratamos de assuntos de comércio exterior, como importação e exportação, sempre vem à mente os termos “balança comercial”, “superávit” e “déficit”. Mas você sabe o que isso significa? Saberia dizer se a balança comercial brasileira com a China, por exemplo, é superavitária ou deficitária? Este artigo procura sanar algumas dúvidas sobre o comércio exterior brasileiro.

 

O que é balança comercial?

Para quem cursou Relações Internacionais, Comércio Exterior ou Ciências Econômicas, o conceito de balança comercial é bem familiar, mas àqueles que não são do ramo podem ter algumas dúvidas com o jargão utilizado. Enfim, balança comercial nada mais é do que uma conta, em que pegamos o total de exportações e subtraímos as importações. O resultado é o que chamamos de saldo da balança comercial. Com este valor, podemos classificar se a balança comercial de um país com outro é superavitária ou deficitária, isto é, se o saldo for negativo, quando o total de importações é maior do que de exportações, dizemos que o país tem um déficit. Se o saldo for positivo, ou seja, se o total de exportações for superior ao de importações, dizemos que a balança comercial do país é superavitária. Para fazer esse cálculo, os economistas fazem o levantamento de dados sobre as importações e exportações de bens e serviços com um determinado país num específico período, que pode ser semanal, mensal, bimestral, trimestral, e assim por diante.

A conta da balança comercial faz parte da disciplina de “macroeconomia”, na qual é trabalhada conceitos relacionados às contas nacionais. O saldo da balança comercial é uma parte fundamental no cálculo do Produto Interno Bruto (PIB), o qual se constitui como a soma de todos os bens produzidos por um país num determinado ano. Assim sendo, conhecer o saldo da balança comercial é fundamental para se avaliar a saúde da economia de um país.

 

balança comercial

Navio cargueiro. Fonte: China Link Trading.

 

Saldo da balança comercial brasileira com o mundo

As informações sobre o saldo da balança comercial brasileira com outros países podem ser encontradas no site do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Relatórios sobre isso são divulgados semanal e mensalmente e no mesmo site podem ser encontradas as balanças comerciais de outros entes federativos, como estados e municípios, e até mesmo de empresas e tradings.

 

balança comercial

Balança comercial. Fonte: China Link Trading.

 

Em 2017, o saldo da balança comercial brasileira com o restante do mundo, de maneira geral, foi positivo. Tivemos um superávit de quase 67 bilhões de dólares, o maior superávit em 18 anos, não obstante a grave crise econômica enfrentada pelo país. Nesse ano, as exportações brasileiras totalizaram cerca de US$ 218 bilhões e as importações foram de um montante de US$ 151 bilhões. Segundo dados do MDIC, desde 2000 o Brasil teve apenas dois anos com saldo deficitário em relação ao mundo, nos anos de 2000 e 2014, com déficits de US$ 731 milhões e US$ 4 bilhões, respectivamente. Até junho deste ano, o Brasil tem apresentado um superávit de US$ 30 bilhões.

 

Saldo da balança comercial brasileira com a China

A China é o maior parceiro comercial do Brasil. Em 2017, o volume de exportações brasileiras à China alcançou a cifra de US$ 50 bilhões, enquanto que as importações do país asiático ficaram num montante de US$ 28 bilhões, resultando num superávit comercial do Brasil em cerca de US$ 32 bilhões. O produto mais exportado aos chineses é a soja triturada, seguidos de minério de ferro, petróleo em bruto e celulose; a soja representa 48% das exportações brasileiras ao país asiático. Por outro lado, importamos produtos manufaturados, como circuitos impressos, peças de telefonia, partes de aparelhos receptores e transmissores. Depois dos chineses, os estadunidenses são os nossos principais compradores, sendo que em 2017, o nosso volume de exportações foi de US$ 26 bilhões. Ademais, o peso dos chineses dentro da nossa pauta de exportações supera inclusive a de blocos econômicos inteiros, como a União Europeia e o Mercosul. Em relação à primeira, o total de exportações brasileiras no ano de 2017 foi de US$ 35 bilhões; em relação ao Mercosul, no mesmo ano os brasileiros exportaram cerca de US$ 22 bilhões. Por curiosidade, no ano passado, os países que compõem a União Europeia foram os responsáveis pela maior parcela das nossas importações, seguidos pelos chineses e estadunidenses.

 

Balança comercial

Navio-contâiner. Fonte: China Link Trading.

 

O crescimento das exportações brasileiras à China é um alívio para os empresários do Brasil, visto que houve uma queda do volume de vendas internacionais desde 2013, quando se iniciou a crise econômica, quando as exportações brasileiras atingiram US$ 49 bilhões, e nos três anos seguintes caíram para US$37 bilhões.

Até junho de 2018, último mês que o MDIC computou os dados de exportação e importação, o Brasil possuía um superávit comercial de US$ 15 bilhões com os chineses, sendo que no primeiro semestre deste ano o total de exportações e importações com a China foram de US$ 30 bilhões e US$ 15 bilhões, respectivamente. Os dados econômicos indicam que novamente o Brasil deverá obter um saldo positivo na sua balança comercial com os chineses, e as expectativas de comércio bilateral entre Brasil e China são promissoras, visto à guerra comercial entre chineses e estadunidenses, podendo abrir mais mercado para os produtos exportados pelo Brasil.

 

Por Victor Fumoto, diretamente de Indaiatuba, SP, Brasil

Fontes: Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter